sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Mais uma festa organizada por mim, 37 anos do maridão!




















Nossa, foi muito bacana, mesmo! Estamos ainda muito cansados, mas valeu a pena. Cada vez mais tenho curtido organizar, planejar, executar uma festa do que curtir e confesso que tenho ficado chata, cada vez mais, quando vou em festas e não nota personalização ou carinho com os convidados. Onde vou parar com isso?
Mas esse post é para contar para vocês algumas coisas sobre a festa do Digo.
Há uns meses escolhemos o tema, já tinhamos o local: foi o salão do prédio de um casal de amigos, lindo lindo de viver e a idéia era reunir a galera para tocar rock ballads.
Eu vi há um tempo atrás um open house na revista Minha Casa e fiquei com vontade de decorar algo com tom mais masculino. Fora que meu marido ama preto e laranja, cores da paleta da festa que você confere aqui.
Então fomos pensando no cardápio, na lista de convidados, na disposição das coisas que temos em casa, já que lá no salão não tem mesa grande e também as mesas são insuficientes.
A nossa amiga nos sugeriu alugar o salão com a churrasqueira e fazer assim uma extensão. Isso ajudou a separar a bebida da comida e ficou bem organizado. Para dar uma graça e fazer o pessoal entrar no clima, Digo (o aniversariante e produtor de festas comigo!) foi ao Saara e descolou instrumentos infláveis, discos de vinil de isopor e plástico, notas musicais, estrelas, uma guitarra grande de isopor, que foram usadas na decoração.
Minha prima Flavia e seu namorado trouxeram umas tattoss daquelas feitas com água (tipo tattoo de chiclete) e isso ajudou as pessoas a interagirem, divertiu as crianças (também fiz kit para desenhar, com lápis de cera, mas acho que levaram como lembrancinha e teve bolinha de sabão para os bebês). O palco foi montado com nossos bancos altos da cozinha, nosso tapete da sala e a mangueira de natal, além dos instrumentos do Digo e o som da Alice. A iluminação não ficou caprichada (exceto a do palco), porque salão de festa tem iluminação ou 8 ou 80 e então todo o salão acabou ficando meio escurão, tipo PUB mesmo. Colocamos velas nas mesas, mas não deu vazão e nem tempo de ficar repondo durante toda a festa. Eu vou tentar fazer umas velas em gel para a próxima (alguém sabe se duram mais?).
A caricatura do Digo foi feita há alguns anos, pelo maravilhoso Kinho Caricaturas e usei na prancheta que foi do meu SPA e iss dava o tom descontraido da festa. Gravamos uma coletânea Rock Ballads em CDs de vinil (o amigo Wil quem descolou esses, lindos, das cores que o Digo ama e ainda testou 1 por 1). O nosso amigo David Henrici fez a arte, que serviu para presentear o Digo com uma camiseta (a idéia era dar uma camiseta para cada um, mas não deu, tava tudo muito caro). Penso ainda em ir fazendo aos poucos e dando como lembrança pro pessoal que tocou. Os ímãs de geladeira com a arte foram idéia do Wilson também, que nos presenteou com todo o material e imprimos e fizemos em casa (Digo e os meninos fizeram). Digo fez um licor de café para saudar quem chegava.
Posted by Picasa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário que prometo responder.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...